Google+ Badge

segunda-feira, 28 de maio de 2012

A nocividade da calúnia

1- O perigo


Um conhecido cristão declarou,em certa ocasião: "Duas coisas me deixam admirado.Primeira; a solenidade com que a Bíblia adverte contra os pecados da difamação e da maledicência. Segunda; a leviandade com que muitos cristãos os toleram ". É raro encontrarmos nas escrituras uma linguagem tão severa quanto a que ela emprega com respeito ao uso da língua.
Ela é comparada a uma fagulha que pode incendiar uma floresta inteira.É como o leme,que,mal conduzido,pode lançar um navio contra as rochas,não obstante estar cheio de valentes guerreiros;é como o veneno,que pode contaminar o corpo inteiro;é como o animal selvagem,o ser humano não consegue domesticar (Tg 3:4-8).
Ora,espera-se do verdadeiro cristão que ele não profira uma calúnia.E não se prontifique a ouvi-la. O padrão, na verdade é que ele até se recuse a aceitar afronta contra o seu próximo (Sl 15: 3c).
Portanto,se alguém,que tem reputação de passar adiante coisas como se fossem verdade,vier lhe contar num boato a respeito de um amigo,você será imediatamente confrontado com o dever de ser honesto consigo mesmo,com seu amigo e com DEUS. Antes de permitir que a pessoa fale recorde-a que o seu Mestre lhe recomendou ter cuidado com tudo que ouvir (Mc 4:24). Você então  poderá fazer à pessoa estas duas perguntas: "Se eu ouvir essa informação,isso irá ajudar o meu amigo ausente ?; Deus será glorificado com isso ?".
Mas agora vamos presumir que você tomou conhecimento de algo que deponha contra alguém.Então o seu dever é seguir o que está escrito em Deuteronômio 13:12-14.
Esta passagem revela quão justos Deus quer que sejamos com relação a qualquer pessoa a respeito de quem circule alguma notícia.Ele diz ao seu povo que,se ouvirem falar que algumas pessoas estão introduzindo a idolatria na terra,eles devem fazer três coisas: inquirir,informar-se e perguntar com diligência.
Se após a investigação for constatado que a notícia é verdadeira e que tal abominação de fato , aconteceu,então devem tomar uma atitude.
Quantos corações feridos e lares desfeitos poderiam ser salvos se esse conselho de céu fosse  sempre seguido !
Uma irmã sábia tinha um bom método para lidar com os boateiros.Sempre que lhe contavam alguma coisa que denegrisse alguém,a sua resposta invariavelmente era: "Venha ,vamos la  saber se isso é mesmo verdade". O efeito às vezes era tristemente engraçado,o fofoqueiro voltava atrás,gaguejava uma correção ou implorava que ela não tomasse o que fora dito como uma afirmação.Mas ela se mostrava inflexível. Levava  o propagador de escândalos à presença da pessoa difamada a fim de comparar as informações.Isso fazia com que ninguém se aventurasse segunda vez a contar fofoca a essa irmã.
Mas se a informação for verdadeira? Mesmo que comprovada,com a repetição desnecessária você estará violando a lei cristã do amor.


2- O remédio


A primeira coisa a reconhecer é que essa é uma tarefa que por esforço próprio,não conseguiremos cumprir -- " Nenhum homem pode domar a língua "  No entanto,aquilo não podemos fazer DEUS pode: renove o propósito de sujeitar-se ao controle dele,e então procure um lugar sossegado,onde possa ficar a sós com Ele,quando poderá tomar as seguintes resoluções:

a)    Jamais falar mal de ninguém (Tt 3:2)

Em juízo críticos feitas na ausência ,não vá além do que você diria se a pessoa estivesse presente.
Depois que Platão deixou Siracusa pela ultima vez,desgostoso com a crueldade de Dionisio,o jovem,esse tirano,apreensivo com a própria reputação na Grécia,disse: " Devo presumir,Platão,que quando você retornar para os seus companheiros da academia,as minhas falhas serão muitas vezes o alvo de sua censura ". Ao que o grande filósofo replicou: " Eu espero,Dionisio,que nunca fiquemos tão perdidos em nossos assuntos a ponto de precisarmos mencioná-los ".

b)    Em nossos círculos de comunhão,devemos desencorajar severamente os fofoqueiros.

Sobre uma mesa na casa de Agostinho,havia uma inscrição:  "Aquele que tem prazer em difamar os ausentes,saiba que esta mesa lhe está vetada".

c)     Sempre cultivar bons pensamentos a respeito de todos (Fm 6)

Quando um homem mede a si mesmo na presença de Deus,e quando olha para os seus companheiros de peregrinação através dos olhos do Mestre,ele irá se sentir como um certo poeta quando declarou: "Existe tanto o bem no pior de nós quanto existe o mal no melhor de nós".
Em I Corintios 13,o maravilhoso capítulo do amor,temos uma cura positiva para todas as coisas desagradáveis nas quais eventualmente temos pensado. Devemos ler eventualmente essa passagem de joelhos!
Façamos de Salmos 141:3 a nossa oração diária:
         Põe guarda,Senhor,à minha boca;vigia a porta dos meus lábios (ERA)

E do salmo 34 a nossa prática cotidiana:

          Quem é o homem que deseja a vida, quem quer largos dias para a ver o bem?
           Guarda a tua língua do mal e os teus lábios de falarem o engano (vs.12 e 13)

                                                              
                                                                        ( extraído de Praying Brethren Mail)